PoderWAP Conteúdos Totalmente Gratuitos
Buscar
Resultados por:
Busca avançada
Últimos assuntos
O tempo dos vulcõesQua 26 Abr 2017 - 3:46PoderWAP
Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Galeria


Conectar-se

Compartilhe
Ver o tópico anteriorVer o tópico seguinte
avatar
Admin
Mensagens : 438
Pontos de Prémios : 2147486142
Data de inscrição : 24/08/2010
Idade : 28
Localização : Portugal
Ver perfil do usuáriohttp://www.poderwap.ml
27052013
O deputado municipal comunista
Helder Guerreiro alertou, esta segunda-feira, para o risco de
contaminação industrial dos aquíferos de Sines, lamentando que o
executivo camarário privilegie "obras de fachada" em detrimento da
alteração dos furos de água.




foto Arquivo

O
autarca lembrou à agência Lusa o incidente que ocorreu no final de
2008, em que as captações de água nos furos geridos pela autarquia foram
suspensas durante alguns dias, devido à descoberta de deposições de
resíduos de hidrocarbonetos e consequente contaminação dos solos junto à
Repsol Polímeros, na Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS), com
possibilidade de contaminação do aquífero mais próximo.
Na
sequência desta situação, contou Helder Guerreiro, "houve um estudo
encomendado pela câmara cuja conclusão foi que aquelas captações são
passíveis de ser contaminadas e têm de ser mudadas de sítio".
Segundo
o deputado municipal, que é também candidato da CDU à presidência da
Câmara Municipal de Sines, "as captações sofreriam menor risco de
contaminação" a sul da lagoa da Sancha.
O estudo indicou ainda que
as análises aos aquíferos não eram feitas com a regularidade
necessária, podendo haver contaminação no período compreendido entre
duas pesquisas, referiu o autarca.
Helder Guerreiro lamentou, por
isso, que o executivo municipal, liderado por Manuel Coelho e eleito por
um movimento independente, tenha optado por fazer a obra de
requalificação da avenida Vasco da Gama, com um custo superior a cinco
milhões de euros, integrada no Programa de Regeneração Urbana de Sines,
intervenção com um valor total que ultrapassa os dez milhões de euros,
comparticipado em cerca de 85% por fundos comunitários.
Compartilhar este artigo em:BookmarksDiggRedditDel.icio.usGoogleLiveSlashdotNetscapeTechnoratiStumbleUponNewsvineFurlYahoo!Smarking

Comentários

Nenhum comentário.

Ver o tópico anteriorVer o tópico seguinte
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum